Thelma Guedes

O tempo de se envergonhar do filho

no tempo de se envergonhar do filho
anda-se curvado e de cabeça baixa
rabo entre as pernas
alma ulcerada

no tempo de se envergonhar do filho
não há como explicar à cria
a fome o desprezo a tirania
a bota no pescoço do desarmado

no tempo de se envergonhar do filho
tudo é causa de acanhamento
o ar é ácido a água é podre o céu imundo
a lei é surda a voz é muda a vida um perigo

no tempo de se envergonhar do filho
o passado é um peso
o presente opressor
o futuro temido

no tempo de se envergonhar do filho
há um planeta de primatas armados
metralhando a infância a graça a alegria
exilando beleza poesia e arte

pendurando a liberdade num pau de arara antigo

esse tempo de se envergonhar do filho
eu não quero não aceito não me cabe não me venham
eu engulo qualquer coisa
menos isso menos isso menos isso

SP 14 de maio de 2016

Comente no Facebook